Edição 1985 de 21 a 27 de julho de 2013
Lêda pode desistir de candidatura e apoiar Sônia Chaves
Fotos: Edilson Pelikano e Fernando Leite/Jornal Opção
Presidente da AGDR, Lêda Borges pode desistir da disputa para vaga de deputada e apoiar reeleição de Sônia Chaves, o que fortaleceria o PSDB
Em ano de pré-eleição o que mais surge no horizonte político são cenários. Ora a favor, ora contra. Os apoiadores de uma possível candidatura para deputada estadual da ex-prefeita de Valparaíso e atualmente presidente da Agência Goiana de Desen­vol­vimento Regional (AGDR), Lêda Borges (PSDB), já não vê muito entusiasmo nessa empreitada. De acordo com uma fonte do Jornal Opção, tucanos de plumagem vistosa trabalham para que ela apoie a reeleição da deputada estadual e amiga Sônia Chaves (PSDB).
 
Pessoas próximas a Lêda temem que, ao entrar na disputa, várias denúncias que estão em andamento na Justiça venham à tona e naufraguem suas pretensões de se eleger deputada. Capital político ela tem. Foram mais de 22 mil votos depositados pelo eleitor quando disputou a reeleição com a atual prefeita de Valparaíso, Lucimar Nascimento (PT). Na pior das hipóteses, se levar o desafio à frente, ela terá no município no mínimo 12 mil votos. Este patrimônio eleitoral faz a cobiça de muita gente, que o diga o ex-prefeito de Luziânia e postulante a uma vaga de deputado federal, Célio Silveira (PSDB), aliado de primeira hora de Lêda.
 
A deputada Sônia Chaves também conversa nos bastidores para que Lêda desista e apoie sua reeleição. Se Lêda levar avante sua pretensão corre dois riscos: perder a disputada e levar Sônia junto ou sofrer impedimento da Justiça em plana campanha. Estas duas hipóteses angustiam Lêda e também Sônia. Por enquanto, são apenas especulações, mas segundo o Jornal Opção apurou, a tendência é que Lêda faça um acordo com Sônia apoiando a reeleição da amiga e fortalecendo o PSDB na região.