Edição 1901 de 11 a 17 de dezembro de 2011
Daia vai ganhar novas empresas em 2012

Com a ampliação do Distrito Agroindustrial de Anápolis (Daia) em 50 alqueires, estima-se que novas empresas já se instalem no complexo a partir do segundo semestre de 2012. De acordo com o presidente da Associação Comercial e In­dustrial de Anápolis (Acia), Wilson de Oliveira, muitas já manifestaram interesse. “Estão apenas aguardando os trâmites”, diz. A cooperação do Estado, por meio de incentivos, sobretudo, fiscais, ajuda no processo.

A vinda de novas empresas para o Daia é bom para o governos estadual e municipal, que ganharão com impostos. É importante também a Anápolis, que se firma como cidade industrial. Além disso, novas indústrias significam mais vagas de empregos à população. Outros setores também se beneficiam, como os que qualificam mão de obra.

A expansão do Daia, que deve começar no primeiro semestre de 2012, visa, segundo o secretário de Indústria e Comércio (SIC), Alexandre Baldy, atender também empresas já instaladas no Distrito, entre elas, a Hyundai. As desapropriações começarão em abril do ano que vem.

O Daia foi inaugurado no dia 9 de novembro de 1976, no governo do presidente Ernesto Geisel e do governador Irapuan Costa Júnior. Nos primeiros anos de existência, o Distrito recebeu poucos empreendimentos e foi considerado um “elefante branco”, como então se rotulavam as grandes obras Executivas que não saíam do papel.

Na década de 1980, o governo goiano, na gestão de Iris Rezende (PMDB), iniciou uma política de incentivos fiscais, a partir da Lei nº 9.489, de 19 de julho de 1984, que criou o Fundo de Fomento à Indus­trialização (Fomentar).

Com a nova legislação, as empresas começaram o povoar o polo industrial. No final da década de 1990, já no início do primeiro governo de Marconi Perillo (PSDB), o Fomentar sofreu alterações para se ajustar à nova realidade econômica, passando a ser chamado de Produzir.

Outros avanços importantes seguiram, entre eles, a Estação Aduaneira do Porto Seco, as instalções de empresas farmoquímicas e  da Universidade Estadual de Goiás (UEG), para suprir as demandas de qualificação de mão de obra.
O polo industrial anapolino está consolidado em um eixo econômico estratégico do Centro-Oeste, além de ser o Distrito agroindustrial mais bem estruturado do Estado, com cerca de 140 empresas instaladas e gerando aproximadamente 10 mil empregos diretos.

Anápolis fica a 48 quilômetros de Goiânia. Para se chegar até a cidade empresarial há três alternativas: a BR-153, duplicada, liga a cidade ao sul e ao norte do País; a rodovia federal BR-060 (que a liga a Brasília) e BR-414 (que a liga à Brasília e Nique­lândia, através de Corumbá de Goiás. Há ainda as rodovias estaduais, GO-222 (por Nerópolis) e GO-330 (por Leopoldo de Bulhões). Está a com pouco mais de 130 quilômetros da capital, Brasília.

Esporte para Todos encerra ano com saldo positivo: menos crianças nas ruas

Com saldo positivo, o Programa Esporte para Todos encerra suas atividades na sexta-feira, 16. Os 31 núcleos só voltam no início de fevereiro. De acordo com o secretário da pasta, Ademir Marinho, são mais de oito mil crianças matriculadas nas modalidades atletismo, basquete, futebol, futsal, handebol, judô e natação.  “Queremos deixar nossa marca na área esportiva.”

Dados da secretaria revelam que o número de infrações envolvendo menores na região norte da cidade — área com alto índice de criminalidade —, diminuiu significativamente, com redução de 79% dos crimes cometidos. Segundo a Polícia Militar, os bairros com maior recorrência de infrações são a Vila Norte e o Residencial das Flores.

O Programa Esporte para Todos, realizado pela Secretaria Municipal de Esporte e Lazer, tem como objetivo oportunizar a iniciação esportiva, o aperfeiçoamento dela e o treinamento de crianças. Conta com importantes parcerias, de empresas privadas e núcleos esportivos, que oferecem aulas práticas às crianças e adolescentes. São quase 20 parceiros espalhados em diversos pontos de Anápolis, com a finalidade de atender maior número de crianças, já que as aulas são ministradas próximo às suas casas.

Goiás terá primeiro Parque Tecnológico

Goiás terá o primeiro Parque Tecnológico Multissetorial do Centro-Oeste. O empreendimento será construído numa área de 700 mil metros quadrados em Anápolis. O anúncio foi feito pelo governador Marconi Perillo na sexta-feira, 9. O empreendimento integra o Programa Goiano de Parques Tecnológicos, coordenado pela Secretaria de Ciência e Tecnologia (Sectec). O objetivo é investir em tecnologia de ponta para dar apoio ao desenvolvimento das indústrias goianas.

De acordo com o governador, a construção do parque tecnológico poderá transformar o Daia em um dos maiores e mais modernos distritos agroindustriais do Brasil.

A Sectec informou que a instalação do Parque ainda está em discussão; a área tem 700 mil metros quadrados. Marconi Perillo sugeriu que o empreendimento seja chamado de Parque Deputado Fernando Cunha, em homenagem ao secretário extraordinário para Assuntos Estratégicos, que faleceu no dia 5 de novembro deste ano. 

Natal com muito humor na cidade

O Natal de Humor deste ano, programa oferecido gratuitamente pela prefeitura, terá como protagonista uma das melhores duplas de comediantes de Goiás, Nilton Pinto e Tom Carvalho. Os dois se apresentarão do dia 19 a 23 de dezembro em cinco bairros da cidade: Jandaia, Filostro Machado, Recanto do Sol, Industrial Munir Calixto e Jardim Arco Verde. Os shows começarão sempre às 20 horas. Haverá outras atrações, locais e regionais, e também shows pirotécnicos. No ano passado, cerca de 5 mil pessoas por dia assistiram às apresentações.

Campeonato de Cross reúne mais de 6 mil

A Secretaria de Desen­volvimento Econômico realizou o I Circuito Anapolino de Velocidade na Terra. O evento aconteceu na pista de cross do Vivian Parque e contou com as modalidades de Kart Cross, Jeep Cross, Gaiola Cross e Fusca Cross. Cerca de 80 equipes participaram da competição que reuniu mais de seis mil pessoas. Além da programação adulta, o I Circuito Anapolino de Velo­cidade na Terra ofereceu diversão especial para crianças, como pula-pula, cama elástica, piscina de bolinha e tobogã.

De acordo com o secretário de Desenvolvimento Eco­nômico, Jakson Charles Serbeto, o Campeonato foi criado devido à demanda nas áreas de kart, jeep, gaiola e fusca cross. “Baseado nisto, resolvemos criar uma programação especial de natal. Surgiu o Circuito Anapolino de Velo­cidade na Terra”, explica o secretário, completando que as modalidades aconteceram nas pistas em que são realizados torneios nacionais, umas das melhores no Brasil, diz ele.