Iristas apelidam o deputado estadual Wagner Siqueira de Judas do Cerrado

Numa entrevista ao Jornal Opção, o deputado Waguinho Siqueira, do PMDB, disse que devia tudo, em termos políticos, ao ex-prefeito de Goiânia Iris Rezende. De fato, em 2010, contrariando líderes do interior, Iris bancou alguns jovens da capital, com o objetivo de iniciar a renovação do partido. Waguinho, que não tinha pretensão política, depois de ter sido alçado ao importante cargo de presidente da Comurg, disputou mandato de deputado estadual e foi eleito. Iris o “carregara” nas costas.

Pois agora, nos bunkers do irismo, Waguinho tem sido chamado de “J do C.”. Quando alguém pergunta o que isto significa, iristas, sorridentes e nada constrangidos, dizem: “Não é nada — J. do C. significa apenas Judas do Cerrado”. O parlamentar estaria criticando Iris duramente, e não apenas nos bastidores.

Ao saber que Waguinho havia trocado de ídolo — Iris por Júnior Friboi, o homem da grana farta —, um peemedebista disse: “Se fosse o Bruno Peixoto, a gente até entenderia”. Sabe-se que Peixoto flanou ao lado de Friboi, mas, depois de receber um puxão de orelha de seu pai, recuou e, após de ter virado friboizista, voltou a ser irista.